Popular
PF
PF cumpre 12 mandados de busca e apreensão em nova operação na Seduc
Uma operação denominada "Boca Livre" foi deflagrada nesta quarta-feira (20) na Secretaria de Educação do Estado (Seduc) em investigação de esquema que desviou recursos da merenda escolar no Piauí em uma licitação realizada em 2014.
20/03/2019 08h48
Por: Redação II
Fonte: Cidade verde
Reprodução
Reprodução

Uma operação denominada "Boca Livre" foi deflagrada nesta quarta-feira (20) na Secretaria de Educação do Estado (Seduc) em investigação de esquema que desviou recursos da merenda escolar no Piauí em uma licitação realizada em 2014. A operação cumpre 12 mandados de busca e apreensão em Teresina. 

Durante a ação na Seduc foram recolhidos documentos, notebooks referentes a processos de licitação na merenda escolar. 

As investigações foram realizadas em parceria com a Controladoria Geral da União e apura o envolvimento de empresários e agentes públicos e a contratação de gêneros alimentícios com sobrepreço para distribuição em escolas da Rede Estadual de ensino com recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). 

Em nota, a Polícia Federal informa que as investigações revelaram que um grupo de empresas atuou conjuntamente com agentes públicos na fraude à licitação realizada pela SEDUC/PI em 2014. 

"O fato investigado refere-se ao exercício de 2014, onde se identificou um prejuízo efetivo de R$ 1.751.740,61, decorrente do superfaturamento nos pagamentos realizados pela Seduc/PI às empresas envolvidas no esquema, que totalizaram, aproximadamente, R$ 5,3 milhões. Paralelamente à fraude na licitação, verificou-se a transferência de valores a servidores públicos, indicando o possível pagamentos de propinas", informa a nota da Polícia Federal.

Ainda de acordo com a nota, as empresas envolvidas têm ampla atuação em municípios e órgãos estaduais e receberam pagamentos de cerca de R$ 140 milhões entre os anos de 2014 e 2018.

O nome Boca Livre é alusivo à grande facilidade propiciada pelo conluio entre os empresários e os agentes públicos envolvidos, o que possibilitou o direcionamento às empresas e a contratação com sobrepreço expressivo.

O trabalho conta com a participação de 68 policiais federais e de 10 servidores da CGU.

Às 10h haverá uma  entrevista coletiva no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal. 

 

(Foto: Izabella Pimentel/ Cidadeverde.com)

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.