Popular
Barragem em MG
500 são retirados de área próxima a outra barragem em MG
A consultoria Walm negou a Declaração de Condição de Estabilidade da Barragem Sul Superior da mina Gongo Soco.
08/02/2019 08h52Atualizado há 2 meses
Por: Redação II
Fonte: meio norte
Foto: Google/Reprodução
Foto: Google/Reprodução

A Agência Nacional de Mineração determinou a retirada de cerca de 500 pessoas das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras, todas em Barão de Cocais, na Região Central de Minas Gerais, por causa da Barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, da Vale. Os moradores saíram de casa na madrugada desta sexta-feira (8), por volta de 1h, após sirenes serem acionadas.

De acordo com a mineradora, a consultoria Walm negou a Declaração de Condição de Estabilidade da estrutura. A partir daí, a empresa começou a executar o nível 1 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração. Já a Prefeitura de Barão de Cocais disse que a Agência Nacional de Mineração ampliou para o nível 2, mais próximo da possibilidade de rompimento.

Barragem da Mina de Gongo Seco, da Vale - Imagem Google Maps

A Barragem Superior Sul está entre as dez que a Vale pretende eliminar. Ela foi construída pelo método de "alteamento a montante". Considerado ultrapassado e menos seguro do que outras alternativas existentes, ele é o mesmo usado na construção de barragens que se romperam em Mariana, em novembro de 2015, e em Brumadinho, em 25 de janeiro deste ano.

Imagem aérea da Minas Gongo Soco, em Barão de Cocais — Foto: Google/Reprodução

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.