Popular
Liberação da maconha
Canadá legaliza consumo de maconha para uso recreativo
O uso recreativo da maconha passou a ser legal no Canadá nesta quarta-feira. O país é o primeiro do G7 e o segundo do mundo a permitir o livre consumo da droga.

Visão Política Análise sobre a política local, estadual e nacional.

17/10/2018 17h33Atualizado há 6 meses
Por: Redação II
Fonte: Meio Norte
Agência Reuters
Agência Reuters

O uso recreativo da maconha passou a ser legal no Canadá nesta quarta-feira. O país é o primeiro do G7 e o segundo do mundo a permitir o livre consumo da droga. A partir de hoje, o porte de até 30 gramas de maconha é permitido.

Os canadenses também podem cultivar até quatro plantas de cannabis em suas casas. A medida foi uma promessa de campanha do primeiro-ministro Justin Trudeau.

As leis aprovadas em junho regulam a produção, a comercialização e o consumo da droga. A posse de maconha se tornou crime no Canadá em 1923, mas o uso medicinal é legal desde 2001.

O objetivo da legalização, segundo seus defensores, é acabar com o mercado negro e diminuir o consumo de maconha entre os jovens. Médicos e agentes de saúde pública do governo que se opuseram às novas leis, contudo, dizem que o consumo da droga pode ser tão prejudicial à saúde quanto o tabaco.

Pelas normas, os canadenses precisam ter 18 anos para comprar maconha. Porém, há províncias que elevaram a exigência da idade para 21 anos, como Quebec. Não é autorizado fumar em lugares públicos.

A maconha não será vendida nos mesmos locais onde hoje se pode comprar álcool ou o tabaco. Espera-se que os consumidores comprem a droga de varejistas regulados pelas autoridades provinciais ou regionais, assim como de produtores licenciados pelo governo federal.

Assim que as primeiras lojas autorizadas a comercializar a droga abriram suas portas nesta quarta, longas filas se formaram em várias cidades do Canadá. Algumas pessoas aplaudiram e usaram as buzinas dos carros para comemorar.

O Canadá se tornou o segundo país do mundo a legalizar o uso da maconha para fins recreativos, depois do Uruguai, que adotou a medida em 2013.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.