Popular
Cabeceiras do Piauí
Repercute as declarações do apresentador de TV Pádua Araújo com críticas ao prefeito de Cabeceiras do PI
O apresentador do programa Ronda do Povão, Pádua Araújo, da Rede Meio Norte, estreou o quadro ‘Gestor que Pensa Pequeno’ e citou o prefeito de Cabeceiras, José Joaquim de Sousa Carvalho, como um dos prefeitos que precisam ampliar o pensamento

Visão Política Análise sobre a política local, estadual e nacional.

10/09/2018 10h00Atualizado há 7 meses
Por: Redação II
Fonte: R10/Longah/TV MN
apresentador Pádua Araújo foi duro nas críticas ao prefeito José Joaquim
apresentador Pádua Araújo foi duro nas críticas ao prefeito José Joaquim
 

O apresentador do programa Ronda do Povão, Pádua Araújo, da Rede Meio Norte, estreou o quadro ‘Gestor que Pensa Pequeno’ e citou o prefeito de Cabeceiras, José Joaquim de Sousa Carvalho, como um dos prefeitos que precisam ampliar o pensamento. Isso porque não cedeu uma sala de aula a uma faculdade, que funciona aos domingos de 15 em 15 dias no povoado Pedras, zona rural do município.

Pádua alegou que mesmo o curso sendo particular tem o objetivo de qualificar a população e é isso que José Joaquim deveria levar em consideração ao fechar as portas da população para o conhecimento.

Pádua disse que o estádio Ozirão está abandonado porque leva o nome do adversário político de José Joaquim. Citou também os quiosques que nunca foram inaugurados.

Assista ao vídeo!

http://longah.com/wp-content/uploads/2018/08/WhatsApp-Video-2018-08-28-at-19.46.33.mp4?_=1

Fonte: Longah.com

O OUTRO LADO

Prefeito José Joaquim rebate críticas do apresentador Pádua Araújo na Rede Meio Norte

Em entrevista nesta quarta-feira (29) ao repórter Dânio Sousa, na Rede Meio Norte, o prefeito de Cabeceiras do Piauí, José Joaquim, se manifestou sobre os comentários feitos pelo apresentador Pádua Araújo durante estreia do quadro ‘Gestor que Pensa Pequeno’, no programa Ronda do Povão na manhã da última segunda-feira (27).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SALA DE AULA PARA FACULDADE

A respeito de uma sala de aula que não teria sido mais cedida a uma faculdade particular para que nela fossem ministradas as aulas aos domingos de 15 em 15 dias na Unidade Escolar Maria de Jesus Carvalho Rocha, no povoado Pedras, o prefeito afirmou que tratava-se de uma faculdade privada utilizando-se da estrutura de uma escola pública, e que antes ele teria que ter sido procurado através de ofício, para em seguida firmarem um Termo de Cooperação, o que não ocorreu. O gestor ressaltou que mesmo que tivesse sido solicitado oficialmente, não teria cedido, pois a escola não é dele, e sim do povo, e que cabe a uma universidade particular alugar uma casa ou construir um prédio para tal fim.

ESTÁDIO FECHADO

Sobre o comentário referente ao estádio municipal que se encontra fechado, José Joaquim explicou que a obra foi construída em um terreno privado que não foi pago, e, ao assumir a prefeitura em 2013 encontrou o estádio interditado. Após negociar com a proprietária e adquirir o terreno por R$ 80 mil, conseguiu junto ao Governo do Estado um projeto de reforma com iluminação, gramado e 4 pontos comerciais no valor de R$ 300 mil, ainda em 2014. Já foi liberada e utilizada a 1ª parcela, inclusive com prestação de contas. O gestor disse ainda que a 2ª e a 3ª parcelas estão sendo pleiteadas junto ao Governo do Estado há 2 anos, que alegando dificuldades financeiras, não tem liberado o recurso.

QUIOSQUES DO AÇUDE

A respeito dos quiosques às margens do açude, (projeto de urbanização) José Joaquim explicou que o projeto original do convênio com a Codevasf ainda é de 2007. Disse ainda que teriam sido gastos mais de R$ 100 mil em 2012 sem terem iniciado efetivamente a obra, a empresa executou a parte relativa aos recursos após ter sido procurada por ele. O prefeito afirmou que está tentando conseguir mais recursos para concluir a obra, que inclui 8 bares e 9 quiosques de artesanato.

CRECHE DO PROINFÂNCIA

Em relação à obra parada da construção da creche do Proinfância, no valor de 1 milhão e 291 mil reais, José Joaquim esclareceu que em 2012 o gestor anterior teria fraudado o sistema do FNDE, prestando contas de recursos sem que sequer metade da obra tenha sido concluída, mas apenas cerca de 40%.

Disse ainda que ao assumir a prefeitura em 2013 já encontrou a obra parada e com inconformidades, e que denunciou o fato à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal e ao Ministério da Educação e Cultura. O prefeito enfatizou que isto tem prejudicado o município, pois o MEC solicitou a devolução dos recursos gastos, alegando ainda que a prefeitura não possui e nem pode investir dinheiro em uma obra com irregularidades.

Assista à entrevista na íntegra!

https://www.youtube.com/watch?v=v47vHGkmMTY

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.