Segunda, 20 de Setembro de 2021
86 99597 7698 - Visão Piauí
Dólar comercial R$ 5,33 0.656%
Euro R$ 6,25 +0.693%
Peso Argentino R$ 0,05 +0.369%
Bitcoin R$ 268.355,17 +2.269%
Bovespa 109.305,76 pontos -1.91%
Economia Recorde histórico

Desocupação cresce e atinge novo recorde histórico no Piauí

Ao todo, o estado tinha cerca de 212 mil desocupados ao final do 2º trimestre deste ano.

31/08/2021 09h18 Atualizada há 3 semanas
Por: Direto da Redação
Desocupação cresce e atinge novo recorde histórico no Piauí
Desocupação cresce e atinge novo recorde histórico no Piauí

 O Piauí encerrou o 2º trimestre de 2021 com o maior índice de desocupação da história. Pela primeira vez, a taxa atingiu a marca de 14,9%. É a maior proporção já registrada desde 2012, quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deu início à coleta da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua). São consideradas desocupadas as pessoas com 14 anos ou mais de idade que estavam sem trabalho e procurando por uma ocupação.

O estado já havia atingido um recorde no 1º trimestre de 2021, quando a taxa chegou a 14,5%. Deste então, a situação piorou: o aumento de 0,4 ponto percentual no índice significa que mais 12 mil pessoas entraram para a estatística de desocupação. Ao todo, o estado tinha cerca de 212 mil desocupados ao final do 2º trimestre deste ano.  

Apesar dos dados negativos para o Piauí, o estado de Pernambuco é quem lidera as estatísticas de desocupação, com taxa que chegou a 21,6% no 2º trimestre de 2021. Já o menor índice do país é de Santa Catarina, onde apenas 5,8% da população em idade de trabalhar está desocupada. O Piauí também possui a menor taxa de desocupação entre os estados do Nordeste e a 12ª maior do país.

A pesquisa mostra que o Piauí segue na contramão do país, que também alcançou recordes de desocupação durante a pandemia, mas teve pequena recuperação no 2º trimestre de 2021. A taxa do país, que chegou a 14,7% no 1º trimestre de 2021, caiu para 14,1% no 2º trimestre. Isso significa que, no Brasil, cerca de 361 mil pessoas conseguiram uma ocupação ou desistiram de procurar trabalho entre os dois primeiros trimestres deste ano. No total, cerca de 14,4 milhões de pessoas ainda permaneciam desocupadas no país ao final do 2º trimestre de 2021.

A taxa de desalentados do país – pessoas com 14 anos ou mais de idade que deixaram de procurar trabalho porque acreditavam que não iriam encontrar – teve queda de 6,5% em relação ao 1º trimestre de 2021. Cerca de 388 mil pessoas saíram dessa condição no período. Isso, aliado à redução da desocupação, pode indicar que mais pessoas conseguiram um trabalho do que desistiram de procurar. No Brasil, havia ainda o total de 5,58 milhões de desalentados no 2º trimestre de 2021.

Mas o Piauí diverge do país também com relação aos desalentados. No estado, mais 4 mil pessoas passaram a essa condição entre o 1º e o 2º trimestre de 2021, um aumento de 1,6%. Em comparação ao 2º trimestre do ano passado, o aumento foi de 31,3%, ou 56 mil pessoas a mais na situação de desalentadas. O total de desalentados do estado chegou a 235 mil pessoas no 2º trimestre de 2021.

Ele1 - Criar site de notícias