TREVO e ALMEGA
Barras

“Deviam se conformar com derrota”: Capote contesta operação da PF

Os policiais apuram denúncia de compra de apoio político com dinheiro de caixa 2

25/11/2020 11h28
Por: Direto da Redação
Fonte: pi24h.com
divulgação
divulgação

O prefeito eleito Edilson  condenou a Operação Democracia Pescada deflagrada nesta quarta-feira, dia 25, pela  (PF) em endereços ligados ao político em  e Brasília.

Os policiais apuram denúncia de compra de apoio político com dinheiro de caixa 2. Capote contestou a denúncia e disse que o povo não quer mais a gestão do prefeito Carlos Monte (PTB).

“Muito triste com esse tipo de ação. os adversários deviam se conformar com a derrota. Se tivesse outra eleição em Barras, Capotim ganhava novamente e ainda ia aumentar a maioria. Não são lideranças que querem o Capote, como diz a denúncia. É o povo que não quer mais essa gestão que está aí. O povo já me deu esse recado na eleição passada. Eu aceitei. O povo se arrependeu, viu que estava errado e descobriu que o Capote é que o melhor para Barras. Foram mais de 3.500 votos de diferença. Por que não se conformam?”, questionou Capote.

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do prefeito eleito, da irmã do prefeito, Ivanilda Sérvulo, da vice-prefeita de Barras, Cynara Lages, de candidatos a vereador e do empresário Wilson Sérvulo, que mora em Brasília.

“Esse tipo de denúncia só constrange as pessoas. Os denunciantes não se preocuparam em como seria feita a abordagem. Eu não sou político. Sou empresário. Tive que abrir a porta da minha casa de madrugada. Tenho um bebê, que ficou chorando. Minha esposa ficou assustada. Meus vizinhos ficaram sem entender nada. Ainda bem que me conhecem e sabem que sou uma pessoa honesta”, lamentou Wilson Sérvulo.

Peixes.. O delegado Leonardo Portela, da Polícia Federal (PF), disse que a organização criminosa investigada na   denominava os apoios comprados durante as eleições conforme os peixes.

“Seriam peixes de couro o grupo político mais importante, peixes nobres de escama o segundo grupo comprado que seria menos importante, mas vindo em sequência. E o grupo comprado menos importante seria as piabas do rabo seco. Daí o nome da operação Democracia Pescada”, explicou o delegado da Polícia Federal.