TREVO e ALMEGA
Barras

Em Barras Capote divulga pesquisa, a soma ultrapassa 100%

Mais uma pesquisa faltando 2 dias para as eleições municipais

13/11/2020 06h21Atualizado há 2 semanas
Por: Direto da Redação
Fonte: Visão Piauí
divulgação
divulgação

Nesta sexta (13) às vésperas das eleições municipais, mais uma pesquisa foi divulgada em Barras, a pesquisa foi realizada pelo instituto OPINAR PESQUISAS LTDA nos 08 e 09 de novembro em território urbano e rural.

O contratante da pesquisa é Antônio Carlos, um dos líderes de campanha da coligação "A vitória que vem do povo" encabeçada por Edilson Sérvulo "Capote".

Na pesquisa, o candidato Capote do PSD 55 lidera com quase 50% seguido por Carlos Monte do PTB 14.

Segundo o TRE-PI Barras possui  34.744 eleitores, se os números da pesquisa representassem a realidade, a diferença de 22,3% de maioria de Capote, o candidato seria eleito com 7.747 votos de maioria, número expressivamente exagerado em uma disputa para prefeito. Essa diferença de maioria chega a ser quase o eleitorado de toda a cidade de Cabeceiras do Piauí.

O que causa estranheza é que a soma das porcentagem ultrapassa o número máximo de 100%, veja abaixo os dados divulgados.

CAPOTE 49,3%

CARLOS MONTE 27%

NS / NO 12,3%

VINICIO MARQUES 9%

VALDY PORTELA 1,8%

LUCAS MATHEUS 0,8%

TOTALIZANDO 100,2%

A assessoria da coligação não nos respondeu pra comentar sobre a pesquisa divulgada nas redes sociais do candidato Capote.

 

MATÉRIA ATUALIZADA 12:20 pm

Justiça impugna pesquisa fraudulenta contratada por apoiador de Edílson Capote

Em decisão publicada nesta quinta-feira (12), o juiz Nauro Thomaz de Carvalho, da  6ª Zona Eleitoral, deferiu pedido de liminar impetrada pela Coligação “Juntos Faremos Muito Mais” contra a empresa Opinar Pesquisas LTDA. e Antônio Carlos de Sousa Melo, apoiador da Coligação “A Vitória Que Vem Do Povo”, encabeçada pelo ex-prefeito e candidato à Prefeitura de Barras, Edílson Capote (PSD).

No pedido de liminar, a coligação impetrante aponta as seguintes irregularidades: indicação de localidade inexistente como pesquisada; graves distorções na divisão do quantitativo de pessoas pesquisadas por região e realização de pesquisa em mesmo local (bairro) como se fossem distintos.

“Além da disparidade entre a informação do cargo no registro da pesquisa no “PesqEle” e o formulário anexo, há também uma má distribuição territorial na pesquisa, o que significaria uma manipulação para levar o eleitorado a erro e, eventualmente, beneficiar determinada candidatura em detrimento de outra”, afirma o magistrado em sua decisão.

No documento, o juiz detalha ainda: “A pesquisa impugnada indica que foram entrevistadas 05 (cinco) pessoas na Vila Mão Santa e 04 (quatro) pessoas na Vila da Luz. Entretanto, a Vila Mão Santa e a Vila da Luz seriam a mesma localidade, não havendo motivos para tal distinção. Aliás, apenas se fosse para beneficiar candidato que, hipoteticamente, teria mais votos em tal localidade”.

O juiz Nauro Thomaz finaliza sua decisão determinando a suspensão da publicação da pesquisa em todos os meios de comunicação (rádio, televisão, jornal, internet, redes sociais, aplicativos de mensagens) sob pena de multa de R$ 10.000,00 por dia de descumprimento.

Observa-se que a pesquisa impugnada já está sendo divulgada no município, o que configura ilicitude, uma vez que vai de encontro à determinação do juiz eleitoral, como exemplo a matéria jornalística, divulgada pelo Portal Longah, intitulada “Capote ou Carlos Monte: veja quem vai ganhar a eleição em Barras segundo pesquisa Opinar”, nesta sexta-feira (13).