Amarrava as vítimas

Preso por estupro amarrava as vítimas e obrigava familiares a assistir o crime

Somente nas 72 horas em que esteve em Teresina, o acusado fez pelo menos três vítimas.

06/04/2020 17h32
Por: Direto da Redação
Preso por estupro amarrava as vítimas e obrigava familiares a assistir o crime
Preso por estupro amarrava as vítimas e obrigava familiares a assistir o crime
 

Os delegados Thales Gomes e Daniell Pires, do Greco, deram detalhes de como o acusado de estupro preso aqui em Teresina atuava. Identificado apenas pelo primeiro nome de Edivan, ele adentrava a casa das vítimas dizendo que queria apenas efetuar um roubo, mas no meio do caminho as amarrava, lhes vendavam os olhos, começavam a praticar os atos libidinosos e ainda obrigavam os familiares a presenciarem o crime.

Somente nas 72 horas em que esteve em Teresina, o acusado fez pelo menos três vítimas. Isso, segundo os delegados, revela que Edivan é um estuprador contumaz, ou seja, pratica o mesmo crime em série, tendo feito vítimas não só aqui no Piauí, como também em outros estados como Tocantins, por exemplo.

A polícia chegou até ele após receber denúncias anônimas. As primeiras diligências começaram no Maranhão e no Tocantins. Com base nas informações obtidas, os delegados do Greco procuraram as autoridades policiais de outras unidades federativas e confirmaram a existência de ocorrências semelhantes ao fato relatado a eles aqui no Piauí, o que indicava que a autoria dos crimes seria a mesma.

“Usando a Inteligência junto com a equipe do Greco, conseguimos identificar esse cidadão que estava nas imediações da zona Sul de Teresina e monitorá-lo. Infelizmente não conseguimos impedir o crime que ele cometeu contra mãe e filha no sábado, mas tínhamos ciência de que ele havia passado por outros estamos e percebemos que se tratava de um estuprador em série que agia sempre no mesmo modus operandi. Ele amarrava as vítimas, vendava e colocava os parentes para verem o ato. Ainda filmava, mas conseguimos recuperar essas gravações e elas já foram devidamente periciadas e deletadas”, relatou o delegado Daniell Pires.

O delegado Daniell Pires deu detalhes de como o acusado agia – Foto: O Dia

O acusado ainda tentou fugir quando a polícia o abordou. De acordo com o coordenador do Greco, o delegado Thales Gomes, Edivan percebeu que estava sendo cercado e correu, adentrando em uma residência no bairro Catarina, na zona Sul de Teresina. Os policiais invadiram a casa foi lá que eles encontraram todo o material relacionado aos roubos a bancos praticados no Maranhão. Os outros membros da quadrilha também se encontravam no local.

O coordenador do Greco, delegado Tales Gomes, explicou que o acusado tentou fugir quando viu a polícia se aproximando – Foto: Assis Fernandes/O Dia

“O Edivan se escondeu no forro da casa, mas nós conseguimos efetuar sua prisão. Eles portavam armas, réplicas de armas, munições além de material oriundo de roubo a uma agência bancária da cidade de Pindaré-Mirim, no Maranhão. Foi aí que percebemos que o acusado de estupro era diretamente envolvido com essa organização criminosa especializada em ataques a entes financeiros”, relata o delegado Thales.

Os presos foram todos autuados e encaminhados para a sede do Greco, onde tiveram seus depoimentos colhidos, já tendo sido transferidos para o sistema prisional.

Fonte: Portal O Dia

 

Barras - PI
Atualizado às 00h51
25°
Poucas nuvens Máxima: 32° - Mínima: 24°
25°

Sensação

7.6 km/h

Vento

84.9%

Umidade

Fonte: Climatempo
Popular novo
CENTRO MOVEIS
Municípios
Últimas notícias
Excelência Contábil
Mais lidas
Cantinho da Pizza