Popular
Acusado de estupro

DJ é preso acusado de estuprar a própria filha de 11 anos

Ao ser realizado o exame de corpo delito, foi comprovado o abuso sexual contra a menor. O levantamento inicial aponta que os abusos aconteciam desde quando ela tinha apenas seis anos de idade.

30/11/2019 10h42
Por: Direto da Redação
 

Um DJ de 30 anos foi preso pela Polícia Civil do Maranhão, na manhã desta sexta-feira (29), no bairro São Francisco, localizado no município de Timon, acusado de estuprar a própria filha, de 11 anos de idade.

A reportagem do GP1 apurou que os policiais do Grupo de Pronto Emprego (GPE) da 18ª Delegacia Regional da Polícia Civil do Maranhão (DRPC) tomaram conhecimento do caso, após a vítima relatar para algumas amigas na escola onde estuda, que estava sentido dores a ponto de não conseguir sentar-se.

Com isso, a direção da escola decidiu acionar o Conselho Tutelar, que levou o caso à Polícia Civil, que iniciou a investigação. Ao ser realizado o exame de corpo delito, foi comprovado o abuso sexual contra a menor. O levantamento inicial aponta que os abusos aconteciam desde quando ela tinha apenas seis anos de idade.

Como ocorria

A Polícia Civil apurou que suspeito do crime buscava a criança na escola e, em vez de deixá-la na residência de sua vó, onde a menina morava, seguia com a vítima para uma residência no bairro São Francisco, onde ocorriam os abusos sexuais.

A abordagem ao suspeito ocorreu em sua própria residência na manhã desta sexta-feira (29). A equipe do Grupo de Pronto Emprego (GPE), entrou no local e indagou o acusado sobre os relatos que sua filha havia feito. Ele ficou nervoso com a situação e começou a urinar em sua própria roupa, mas acabou preso.

O DJ foi detido pela Polícia Civil e encaminhado para a Central de Flagrantes de Timon, onde aguarda passar por audiência de custódia. De lá, ele deverá ser encaminhado ou não para o sistema penitenciário do estado do Maranhão.

Fonte: GP1

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.