Popular
Dan Martins

Entrevista exclusiva: Dan Martins o ator piauiense de maior sucesso no teatro

Participação com a esquete “A Volta de Carmem Miranda” na Mostra Nacional em 2018, Rio de Janeiro – RJ.

24/10/2019 09h27Atualizado há 4 semanas
Por: Redação II
Fonte: PVPI
arquivo pessoal
arquivo pessoal

PORTAL VISÃO PIAUÍ – Entrevista Dan Martins

 

1. Conte-me de você, o Dan Martins.

Apesar de ter me tornado Dan Martins, ainda continuo sendo o “Zé de Leó”, menino que saiu do povoado Buriti Grande, município de Dom Expedito Lopes, mesorregião do Sudeste piauiense, com sede de conquistar o mundo. Filho de pais separados, duas irmãs e criado pelos avós maternos, que aos 18 anos saiu do mato para viver na cidade grande com o desejo de ser ator, chegando em Teresina no ano de 2004. Entrou para o teatro em 2007, iniciando pelo Grupo de Teatro do Monte Castelo com a encenação anual da Paixão de Cristo, onde conheceu Vitorino Rodrigues que o lançou no teatro profissional. Concluiu o curso Técnico em Arte Dramática na Escola Técnica de Teatro Gomes Campos, participou de diversos espetáculos até criar seu próprio grupo de teatro e sentir a necessidade de dar passos mais largos em direção aos seus objetivos mudando-se para o Rio de Janeiro, em 2014, onde está concluindo sua graduação em Atuação Cênica na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO, que além da gama de oportunidades ainda lhe deu a possibilidade de vivenciar a experiência de um intercâmbio internacional em Bogotá – Colômbia. Dan Martins é um mero sonhador, mas com os pés firmes no chão, que vivencia cada instante como experiência única e aprendizado contínuo, o mesmo menino de outrora feito homem, destemido e determinado, em constante busca pela realização de seus ideais.

 

2. Quais são seus pontos fortes?

Medo, (in)pulso, força, coragem. Medo de estar certo ou errado demais a ponto de paralisar diante das adversidades da vida (mas, o que é certo ou errado?), no entanto, uso este medo como trampolim para ir além das minhas limitações. (In)pulso no sentido de tomar partido e seguir com um olhar no horizonte, não em linha reta ou de forma vertical, mas buscando pelos atalhos, o que me torna mais maleável. Força porque é o alimento diário que me faz me sentir vivo e que muitas vezes nem eu sei de onde vem. Coragem no sentido de estar sempre em movimento, lutar pelo que acredito e romper até mesmo com minhas próprias expectativas. Na verdade, o meu ponto forte é ser piauiense, nordestino e brasileiro com sangue no olho, pulsando nas veias e bombeando o coração cheio de amor para compartilhar. 

 

3. Quais são seus pontos fracos?

            Atentaria para o fato de eu ser “bonzinho demais” e ainda acreditar no ser humano, além de levar as coisas muito ao “pé da letra”, com seriedade, o que às vezes acarreta em alguns bloqueios, que considero como autodefesa.    

 

4. Quem é seu ator favorito? Por que gostou dele?

            Favoritismo não combina muito comigo, mas admiro bastante o trabalho de Antônio Fagundes que juntamente com o saudoso Raul Cortez protagonizou as primeiras referências que tive de ator quando assisti pela primeira a uma novela. O Raul não está mais entre nós, mas o Fagundes segue virtuoso e continuo admirando-o por perceber a valorização, sinceridade e respeito com a arte da cena presentes em seu trabalho. Isso me inspira.

  

5. Com que tipo de personalidade você consegue trabalhar melhor? Por que trabalha bem com pessoas que tem este tipo de personalidade?

            Costumo me dar bem com todos, ainda mais no espaço sagrado do teatro onde priorizo a valorização deste ambiente, mesmo que tenha que suportar trabalhar ao lado de alguém muito carregado. No geral, gosto de trabalhar com pessoas de áurea leve e de bem com vida, pois no teatro a energia conta bastante e quanto menos densa ela for melhor a convivência.

 

6. Por que você quer ser ator?

            Ao tempo que poderia ter todas as respostas acabo não tendo resposta alguma. Me questiono quase que o tempo todo o por que ser ator e não consigo dizer ao certo. Acho que os meus feitos e toda minha trajetória de vida até aqui diz muito sobre isso. Acredito ser ator porque o teatro cura e me faz mais humano, difícil explicar.

 

7. Como é que você gostaria de estar em sua carreira profissional?

            Financeiramente falando, queria poder sobreviver somente da minha arte, viver com o mínimo de dignidade, sem instabilidades e com o suficiente para manter o básico como alimentação, moradia... mas, infelizmente, vivemos numa sociedade capitalista e que ainda menospreza e desvaloriza o artista (não falo de forma generalizada).

 

8. Conte-me da conquista de que você mais orgulha-se? Filmes, peças teatrais e etc...

            Costumo me entregar ao trabalho por inteiro, com intensidade, mesmo que seja algo simples. Portanto, me orgulho do que faço. Então quero destacar uma das maiores realizações que é ter me tornado ator-cantor de teatro musical. Poder ter domínio do próprio corpo para trabalhar habilidades distintas como atuar, cantar e dançar ao mesmo tempo é de longe uma de minhas conquistas mais satisfatórias.

 

9. Como sentiria trabalhando em uma novela da Globo, Record ou SBT?

            Pergunta complexa (risos). Saí do Piauí com todos os sonhos e ilusões possíveis com relação à TV (Globo, claro) e ao chegar no Rio foi necessário quebrar muito a cara e ter todas as expectativas frustradas para entender que, na realidade, “o buraco é mais embaixo” e que o mundo televisivo não é bem como pintam. Mas Deus é tremendo e está sempre guiando meus passos e mostrando caminhos outros – mais gratificantes até. Foi quando entrei na universidade pública e a partir daí meus pés e pensamentos voltaram-se para o mundo real. Claro que quero chegar na TV e no cinema porque é um sonho de infância e uma meta de vida enquanto ator, mas, eu diria que hoje tenho certa maturidade para lidar com a realidade do universo midiático audiovisual, e caso eu tenha a oportunidade de firmar algum contrato continuaria com a mesma humildade, sem grandes pretensões, livre de egos e com os dois pés bem firmes ao chão.

 

10. Houve alguma proposta para sua carreira profissional por alguma emissora de TV do Eixo Rio- São Paulo?

            Não. Ainda. Durante os 4 anos da minha graduação procurei não me aproximar do mercado audiovisual porque priorizei a conclusão do curso, me formar. Além disso, acompanhei de perto amigos de turma que chegaram lá (novelas da Globo), mas tiveram que trancar o curso porque não tem chances de conciliar os dois. Agora, próximo da minha formatura, estamos trabalhando para realizar esse objetivo.

 

11. O que atraiu-lhe no teatro?

            O fato de nele poder ter a chance de ser o que/quem eu quiser e entreter com uma plateia, provocando atravessamentos distintos através da arte da cena, isso é incrível, magia que só acontece no teatro e o diferencia de outras atividades.

 

12. De que você mais orgulha-se?

            Ter nascido. Nascido em uma família, numa época e no lugar que considero corretos, sabe aquele ditado... “lugar certo na hora certa” (?). Me orgulho da vida.

 

13. O que você procura em termos de desenvolvimento de sua carreira profissional?

            Seguir no Mestrado para no futuro – não tão distante – me tornar professor universitário. Acreditando veementemente que o curso de teatro vai chegar na UESPI ou UFPI para que outros jovens não tenha a necessidade de sair do seu Estado para buscar formação na área. O curso chegando no Piauí me dará chances de retornar para casa como professor para dividir experiências com os demais.

 

14. O que você procura em termos da Cultura?

            Batalhar para que o teatro avance em grandes proporções em direção ao interior do Estado do Piauí, especialmente da minha cidade Dom Expedito Lopes, como forma de incentivar e promover o acesso à cultura de pessoas que pouco ou nunca viram um espetáculo teatral.

 

15. De que mais gosta de fazer nas horas de folga?

            Antes era “bater perna” e prosear com amigos, jogar pelada. Hoje é estar na própria companhia, ler, cozinhar, barzinho com os amigos...

 

16. Dê alguns exemplos de ideias que teve ou realizou.

            Realizar um evento cultural no povoado Buriti Grande (Mostra Buriti de Teatro) como forma de manter viva minha conexão com minha terra natal e compartilhar minhas vivências mundo afora, fomentando e promovendo a cultura na minha cidade.

 

17. Quais são seus sonhos de toda a vida?

            Futuramente, poder de fato chegar na TV e no cinema brasileiros como ator.

 

18. Qual é a seu objetivo profissional final?

            Como disse anteriormente, fazer o Mestrado em Artes Cênicas e me tornar professor de teatro universitário.

 

19. Como você descreveria seu estilo de trabalhar?

            Foco, dedicação e comprometimento. Como diria Stanislavski, estes são os pilares que sustentam a arte que existe em mim e que me fazem levar a vida com mais amor, humor, leveza, respeito e sinceridade com o meu ofício. 

 

DAN MARTINS

Ator (DRT: 350-PI).

 

José Dantas Martins, brasileiro, solteiro, 33 anos, sem filhos,

Natural de Dom Expedito Lopes - Piauí.

 

 

DADOS FÍSICOS

Altura  Peso    Cabelos    Olhos

1,68m  65kg    Castanhos escuros   Castanhos escuros

Sem sinais. Sem piercings. 01 tatuagem no braço esquerdo.

 

      CONTATOS

Celular 1: +55 21 9 8579-7029 – OI

Celular 2: +55 21 9 6508-6344 – TIM

 

ENDEREÇO

Rua Alice, 290, Apto. 307 – Laranjeiras

CEP: 22241-020 Rio de Janeiro – RJ

 

INTERNET

E-mail: [email protected]

Facebook: facebook.com/dandedantas

Instagram: @dandedantas

 

FORMAÇÃO ACADÊMICA E CURSOS LIVRES

Bacharelado em Atuação Cênica    Superior. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. Rio de Janeiro – RJ. Cursando 8º e último período. Tempo integral (Vesp/Not).

Técnico em Arte Dramática Médio Técnico. Escola Técnica Estadual de Teatro Professor José Gomes Campos. Teresina – PI. Março de 2010 a julho de 2011.

Produção em TV Livre. Escola do Legislativo Professor Wilson Brandão. Instrutor: Alexandra Teodoro. Teresina – PI. Outubro e novembro de 2014.

Cinema Pela Lente

 

Interpretação Para TV e Cinema     Livre. Casa da Cultura de Teresina. Instrutor: Francisco Monteiro Júnior. Teresina – PI. Fevereiro a setembro de 2014.

Livre. Casa das Artes de Laranjeiras. Instrutor: Marcio Augusto e Marco Rodrigo. Rio de Janeiro – RJ. Maio a junho de 2014

 

CINEMA

Buriti Grande Documentário. Personagem: Zé/Collete. Roteiro e direção: Dan Martins. Produção: Grupo de Teatro Buriti, Núcleo Proposta de Cinema e JSA Audiovisual. Piauí. 2014.

Sebo Nas Canelas     Longa-metragem. Personagem: Rômulo. Direção: Hasley Andrade. Produção: HFilmes, Núcleo Proposta de Cinema e JSA Audiovisual. Piauí. 2014.

Apenas Uma História de Amor  Curta-metragem. Personagem: Cássio. Direção: Francisco Monteiro Júnior. Produção: Doroteu Filmes. Piauí. 2014.

 TEATRO

Musical - O Primo da Califórnia Texto: Joaquim Manoel de Macedo. Adaptação: Alexandre Amorim. Personagem: Pantaleão. Direção: Rubens Lima Júnior. Unirio Teatro Musicado. Apresentações nos teatros Paschoal Carlos Magno, Odylo de Brito e Cesgranrio – RJ, em 2018.

À Margem Texto: Marcelino Freire. Personagem: Homem 1/Carmen Simonal. Direção: Wellington Júnior. Coletivo (In)Comum. Apresentações no Rio de Janeiro, Campo Grande, Mesquita e Nova Iguaçu – RJ e Teresina – PI, desde 2017.

Noite Nua de Estrelas     Texto: Vitorino Rodrigues. Personagem: Caíque. Direção: Diomar Nascimento. Coletivo (In)Comum. Apresentações no Rio de Janeiro e Nova Iguaçu – RJ e Teresina – PI, em 2017 e 2018.

Estranho Espelho Meu   Texto: Dan Martins. Personagem: Rainha. Direção: Dan Martins. Grupo de Teatro Buriti. Apresentações em Dom Expedito Lopes, Elesbão Veloso e Teresina – PI, Timon – MA e Curitiba – PR, de 2013 a 2014.

O Diário da Bruxa      Texto: Vitorino Rodrigues. Personagem: Caldeirão/Principe. Direção: Roger Ribeiro. Grupo Proposta de Teatro. Apresentações em Barras, Elesbão Veloso e Teresina – PI e Timon – MA, de 2010 a 2012

A Cidade Substituída      Texto: Vitorino Rodrigues. Personagem: Homem II. Direção: Vitorino Rodrigues. Grupo Indigentes de Teatro. Apresentações em Teresina – PI e Timon – MA, de 2010 a 2011.

 Paixão de Cristo

   

Texto: Rubens Aragão. Personagem: André/João. Direção: Odirene dos Santos. Grupo de Teatro do Monte Castelo. Apresentações no Bairro Monte Castelo, Teresina – PI, na Semana Santa, de 2008 a 2010.

 PUBLICIDADE

Eleições 2014      Campanha: Governador Zé Filho. 4 Estações, Teresina - PI. 2014.

Prefeitura de Teresina

Piauí Cap

Strans Campanha: Terejunina. AMC Propaganda, Teresina - PI. 2014.

 

Campanha: Ranger. Equipe Piauí Cap, Teresina – PI. 2013.

Campanha: Sinalização. Plug Propaganda, Teresina – PI. 2010.

 

 PRÊMIOS E PARTICIPAÇÕES EM FESTIVAIS

8º Festu – Festival de Teatro Universitário Participação com a esquete “A Volta de Carmem Miranda” na Mostra Nacional em 2018, Rio de Janeiro – RJ.

Festival de Teatro de Curitiba    Participação com os espetáculos “Estranho Espelho Meu” em 2014 e “O Diário da Bruxa” em 2012 na Mostra Fringe, Curitiba – PR.

Festival de Teatro de Canoa Quebrada Participação com o espetáculo “O Estudante” em 2012 na Mostra Dragão do Mar de Arte e Cultura, Canoa Quebrada - CE.

HABILIDADES E OUTRAS INFORMAÇÕES

Dirige automóvel e motocicleta com CNH: AB. Prática de montaria a cavalo. Sabe nadar. Espírito de liderança. Experiência com coordenação de grupo e produção de evento cultural. Escreve e dirige espetáculos teatrais.  

 

 

 

 

  • Entrevista exclusiva: Dan Martins o ator piauiense de maior sucesso no teatro
  • Entrevista exclusiva: Dan Martins o ator piauiense de maior sucesso no teatro
  • Entrevista exclusiva: Dan Martins o ator piauiense de maior sucesso no teatro
  • Entrevista exclusiva: Dan Martins o ator piauiense de maior sucesso no teatro
  • Entrevista exclusiva: Dan Martins o ator piauiense de maior sucesso no teatro
  • Entrevista exclusiva: Dan Martins o ator piauiense de maior sucesso no teatro
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.