Popular
Carta

Caso Fernanda Lages: Carta psicografada e entregue aos pais pode ser falsa

Na época, as Polícias Civil e Federal divulgaram o caso como suicídio.

07/10/2019 15h04Atualizado há 2 semanas
Por: Direto da Redação
Fonte: Oito Meia
Fernanda Lages e os pais em foto de arquivo da família (Foto: Reprodução)
Fernanda Lages e os pais em foto de arquivo da família (Foto: Reprodução)
 

O programa Fantástico, da Rede Globo, exibiu reportagem na noite deste domingo (06/10) sobre uma investigação contra o médium Fernando Ben, que esteve em Teresina divulgando uma suposta carta psicografada da estudante Fernanda Lages, encontrada morta em agosto de 2011. A notícia foi veiculada no site OitoMeia. 

A investigação policial está na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática do estado do Rio de Janeiro, onde mora Fernando Ben. Segundo o delegado Paulo Sartori, há um grande número de pessoas que denunciaram o suposto médium de ser um farsante e de divulgar cartas com conteúdo retirado das redes sociais.

Fernando Ben: Fantástico mostrou matéria que ele está sob investigação (Foto: Reprodução)
Fernando Ben: Fantástico mostrou matéria que ele está sob investigação (Foto: Reprodução)

 Fernando Ben esteve em Teresina em janeiro de 2017 e entregou aos pais de Fernanda Lages uma carta supostamente psicografada. A estudante de 19 anos foi encontrada morta no dia 25 de agosto de 2011 no prédio em obras do Ministério Público, zona Leste da capital. Na época, as Polícias Civil e Federal divulgaram o caso como suicídio.

O Ministério Público, no entanto, contestou. Os promotores Eliardo Cabral e Ubiraci Rocha chegaram a dizer que havia um “homem do pé tamanho 42” que teria assassinado Fernanda Lages. Eliardo se aposentou e nunca revelou quem era o suspeito que tanta alarmava. Ubiraci saiu do caso alegando não ter mais condições de acompanhar.

Até hoje, oito anos depois, o Caso Fernanda Lages não teve um desfecho. O MP segue com o processo, que está nas mãos do promotor João Malato desde a saída de Ubiraci, fevereiro de 2017. A família da estudante segue sem uma resposta e a última esperança de um sinal de Fernanda era esta carta. Como Fernando Ben está sob investigação há indícios de que a carta psicografada, que tinha até o CPF da jovem, pode ser falsa.

Na época, o presidente do Centro Espírita Fabiano de Cristo, Lindon Johnson Bezerra, que trouxe Fernando Ben a Teresina, disse que todos se surpreenderam, pois ninguém esperava que o suposto médium tivesse tido um contato com Fernanda Lages, como mostrou reportagem do portal divulgada naquele período. Além da carta de Fernanda, Fernando Ben fez outras nove cartas psicografadas. Segundo Lindon Johnson, em todas o médium falou o CPF dos espíritos que estavam querendo se comunicar com a família. “Somente um ele não falou o número do CPF, mas falou o do telefone”, explicou.

Na reportagem exibida pelo Fantástico, o pesquisador espírita Guilherme Velho mostrou algumas provas de que Fernando Ben utiliza dados da Internet para divulgar cartas psicografadas. O delegado titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática do Rio de Janeiro Paulo Sartori informou que Fernando Ben já foi indicado por estelionato e denunciação caluniosa, por ir à delegacia contra ex-clientes que se sentiram lesados com as cartas falsas. “Nós pedimos que as pessoas façam uma queixa. Que denunciem esse tipo de farsa. Porque estão brincando com a dor mais sagrada do ser humano. A dor da perda de um ente querido”, disse ao Fantástico o pesquisador espírita Guilherme Velho.

A SUPOSTA CARTA DE FERNANDA LAGES

Entregue em janeiro de 2017 aos pais de Fernanda Lages, supostamente escrita por ela por intermédio de Fernando Ben, a carta dizia que  ela não era “suicida”, mas que não poderia revelar “como foi morta”. Uma estudante presente no momento em que a carta foi lida no evento realizado em Teresina, à época, narrou ao OitoMeia um pouco do que ouviu. Segundo ela, “os espíritos vêm voluntariamente a este mundo e escrevem cartas aos parentes”. A fonte não quis se identificar, mas disse que no dia da entrega da carta, o único familiar da Fernanda presente era a sua tia Cassandra Lages, servidora do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI). A família optou por não revelar o conteúdo completo da suposta carta por entender que se trata de informações de cunho pessoal e familiar. “Reiteramos o pedido realizado para que as pessoas orem por ela e não façam julgamentos precipitados dela ou de terceiros para que possamos ter a paz de espírito”, dizia na época da divulgação da carta a tia Cassandra.

Créditos: Jornalista Alisson Paixão / OitoMeia

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.