Popular
Cabeceiras

Cabeceiras vira um canteiro de obras inacabadas

São grandes obras que tiveram início, mas que até agora permanecem paralisadas.

15/05/2019 07h15Atualizado há 1 semana
Por: Direto da Redação
Fonte: R10
Foto: R10
Foto: R10
 

Um grande canteiro de obras, que era uma promessa de desenvolvimento para Cabeceiras do Piauí, se transformou em estagnação ao longo dos últimos anos. Entraves burocráticos e limitações econômicas impedem a retomada e conclusão de importantes obras que já poderiam ter sido inauguradas se o cronograma de execução tivesse sido cumprido conforme previsto. Os projetos têm custos altos, mas sua execução sempre fica pela metade.

O município de Cabeceiras, de apenas 10.540 habitantes, não conta com arrecadação expressiva que possibilite investimentos em grandes obras. A gestão municipal sobrevive praticamente do repasse de recursos federais, como FPM (Fundo de Participação dos Municípios), Fundeb e outras fontes. Para construção de grandes obras, somente adquirindo dos governos federal e estadual. Entretanto, as poucas que foram conseguidas ainda estão pela metade, representando verdadeiros monumentos ao desperdício de dinheiro público.

São grandes obras que tiveram início, mas que até agora permanecem paralisadas, uma delas já foi até alvo de atos de vandalismo. Os três casos mais emblemáticos são: a creche padrão do Proinfância, a urbanização do açude Cabeceiras e a reforma do estádio de futebol.

Espaço aberto para ASCOM Cabeceiras.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.