Quinta, 15 de novembro de 2018
86 99570 3774 - Atual Sistema de Comunicação
Política

09/11/2018 ás 07h57

Direto da Redação

Barras / PI

W. Dias admite corte de coordenadorias e diz que momento é desafiador
Wellington Dias ainda não fechou sua nova equipe de trabalho para o 4º mandato. Segundo ele, a prioridade agora é a estrutura da máquina administrativa.
W. Dias admite corte de coordenadorias e diz que momento é desafiador
(Foto: Reprodução)
 

O governador Wellington Dias admitiu nesta quinta-feira (8) que trabalha com a possibilidade de reduzir o número de coordenadorias em seu novo mandato. Segundo o petista, o momento é desafiador e requer medidas de adequações. Duas secretarias - Justiça e Segurança - passarão por reformulação.


"Eu trabalho com a possibilidade (reduzir coordenadorias). Têm algumas áreas porque cumpriram uma missão que estava colocada para este mandato, outras mesmos por uma questão de economicidade e adequação à nova realidade", disse durante a entrega da medalha Centenário Alberto Silva na noite de ontem.


A realidade a que o governador se refere é a escassez  de recursos no Brasil. "E isso atinge também o Piauí", frisou.


Além da extinção, o governador revelou que trabalha com adequações. "Do outro  lado temos adequações para que a gente possa cumprir os compromissos de campanha", declarou.


Entre essas adequações, estão mudanças no aparato da Segurança e Justiça. "A Segurança hoje é organizada numa lógica de área militar, civil e outras. Vamos ter que organizar agora por riscos elevados, alto risco, médio risco e baixo risco. Então vamos ter que adequar a estrutura organizacional tanto na segurança e justiça aquilo que é uma novidade que vem do nosso projeto apresentado na campanha", revelou.


Na semana passada, o Progressistas entregou uma carta ao governador sugerindo o enxugamento do Estado para o próximo mandato. O partido chegou a colocar seus cargos à disposição. Medida adotada dias depois pelo MDB.


Equipe


Wellington Dias ainda não fechou sua nova equipe de trabalho para o 4º mandato. Segundo ele, a prioridade agora é a estrutura da máquina administrativa.


"Quando a gente vem de uma reeleição tem uma vantagem: tem uma equipe em atividade. Estou tratando de adequar a estrutura do Estado, primeiro à realidade. É um momento mais desafiador do que o ano passado, o ano anterior, bem distinto daquilo que eu  sonhei quando estava ali em 2014 candidato à primeira eleição", afirmou.


Para o governador, só após levantamentos dos grupos de trabalho sobre o tamanho do Estado é que ele se debruçará sobre nomes para a nova equipe. "Tendo a clareza dos compromissos que assumi na campanha, qual a estrutura necessária para bem desempenhar com economicidade, mais modernidade, equilíbrio e, certamente, os grupos de trabalho que já estão comigo apresentarem um levantamento, somente após essas definições é que vou realmente tratar da equipe", destacou.


O petista voltou a falar que o desafio é grande, mas que é otimista e que acredita em uma solução para atravessar a crise. "O desafio é grande e sou sempre otimista. Acho que vamos encontrar caminhos para garantir o equilíbrio e tocar a capacidade de investimentos", finalizou.

FONTE: Edição: Visão Piauí - Informações cidadeverde

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium