Quarta, 12 de dezembro de 2018
86 99570 3774 - Atual Sistema de Comunicação
Brasil

17/09/2018 ás 07h38

Direto da Redação

Barras / PI

Jornalista xingado por Ciro Gomes pretende registrar ocorrência
O político o xingou de “f**** da p***” quando respondia perguntas da imprensa em Boa Vista (RR), no sábado (15.set).
Jornalista xingado por Ciro Gomes pretende registrar ocorrência
Reprodução
 

O jornalista Luiz Petri disse ao Poder360 na tarde deste domingo (16.set.2018) que deve registrar um boletim de ocorrência contra o candidato a presidente Ciro Gomes (PDT). O político o xingou de “f**** da p***” quando respondia perguntas da imprensa em Boa Vista (RR), no sábado (15.set).


Vídeos do episódio circulam nas redes sociais. Petri é apresentador do programa sobre empreendedorismo Saldo Positivo, exibido na TV Tropical, afiliada do SBT em Roraima. Disse que está consultando seu advogado para definir os trâmites legais.


Ciro respondia a perguntas de jornalistas quando foi questionado por Petri: “Ciro, o senhor reafirma o que o senhor disse sobre os brasileiros que tiveram aquela manifestação lá na fronteira, que chamou os brasileiros de canalhas, desumanos e grosseiros?”.


O pedetista então respondeu, de maneira ríspida e exaltada: “Vá pra casa do Romero Jucá, seu filho da puta. Pode tirar esse daqui. Esse aqui é do Romero Jucá! Romero Jucá. Romero Jucá! Tira ele. Tira ele! Prende ele aí!”.


Segundo Petri, ao se preparar para a entrevista pesquisou quais tinham sido as declarações de Ciro sobre o Estado. Disse que a única menção do político a Roraima foi sobre brasileiros que agrediram venezuelanos, em agosto, em Pacaraima. Na ocasião, o pedetista disse que as agressões foram uma “desumanidade” e uma “canalhice”. 


Procurado, por meio de sua assessoria de imprensa, o senador Romero Jucá (MDB-RR) disse que não iria comentar o episódio. Jucá tenta a reeleição agora em 2018. É adversário político de Ciro Gomes no Estado.


O jornalista relata que além do xingamento, levou “1 soco leve” de Ciro. “Ele podia ter me respondido de forma civilizada. Se eu faço uma visita na sua casa eu tenho que no mínimo ser respeitoso com você”, afirmou.


O apresentador disse que sua pergunta seguinte seria sobre a proposta do político de tirar o nome das pessoas do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e o impacto disso no comércio local. Ficou sem respostas, foi afastado do candidato por seguranças.


 


Campanha política


Petri disse que apesar de ser formado em jornalismo, hoje atua principalmente com publicidade em sua produtora LP Serviços em Comunicação.


De acordo com as informações prestadas por candidatos ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a empresa de Luiz Petri já recebeu R$195.810,00 de campanhas políticas em 2018. O valor partiu de 3 fontes:


Diretório Estadual/Distrital do MDB em Roraima – R$124.410,00;


campanha ao Senado de Chico Rodrigues (DEM-RR), da coligação (PSDB/DEM/MDB/PSD/PPS/ SD/DC) – R$ 70 mil;


campanha a deputado estadual de Jorge Everton (MDB).


Eis o que constava no site do TSE na tarde deste domingo (as informações são atualizadas ao longo da campanha):

FONTE: Agência Brasil

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium