Popular
Jornalismo

Uespi e revista Revestrés promovem debate sobre jornalismo e diversidade

O encontro será na terça-feira (22), no auditório Pirajá, campus Poeta Torquato Neto, em Teresina.

18/05/2018 10h39Atualizado há 1 ano
Por: Redação II
Fonte: ccom
Reprodução
Reprodução
 

Com o objetivo de discutir temas atravessados pela comunicação, a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), em parceria com a revista Revestrés, realiza, nesta terça-feira (22), um diálogo com o tema: jornalismo e diversidade. O encontro inicia às 18H30, no auditório Pirajá, Campus Poeta Torquato Neto, em Teresina. A entrada é gratuita.

O encontro busca discutir o jornalismo no momento em que a comunicação se faz central na atualidade. O evento trará a convidada Nayara Barros, mestre em Filosofia pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) e doutoranda na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A professora do Curso de Comunicação da Uespi e uma das organizadoras do evento, Samaria Andrade, diz que o fazer jornalístico é ainda pouco discutido, por isso deve ser debatido em encontros como este.

“Serão levantadas discussões sobre o tratamento de alguns temas. No caso desse encontro, será discutida a diversidade, exemplificando a questão com pautas e matérias da própria Revestrés”, afirma Samaria.

A professora comenta ainda que levar o evento para a universidade pode esclarecer dúvidas e trazer conhecimentos por meio do debate. “É importante levar esse tema para a Uespi, junto aos estudantes de jornalismo e interessados, pois contribui com a discussão, ajudando a iluminar pontos e enriquecer o saber sobre o assunto”, explica Andrade.

Para André Gonçalves, membro do conselho editorial da revista Revestrés, a ideia é provocar debates mais abertos a respeito do tema dentro da comunidade acadêmica. “Falaremos sobre temas diversos que estejam de alguma forma ligados à nossa pauta: cultura, arte, comportamento, etc.  Nesse primeiro encontro, sugerimos jornalismo e diversidade, por acreditarmos na necessidade de se debater um pouco sobre como alguns temas são colocados pelo jornalismo – e se realmente são, ou não. Gênero, etnia, preconceitos, como as pessoas em toda a sua diversidade são abordadas ou apagadas, propositalmente ou não, na produção jornalística”, comenta Gonçalves.

André frisa ainda que a Uespi é um espaço propício para falar da temática, devido à própria diversidade dentro da sua comunidade, e por ser um lugar de preparação de novos comunicadores.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.