Segunda, 21 de maio de 2018
86 99570 3774 - Atual Sistema de Comunicação CNPJ 17.061.655/0001-72

28º

Min 23º Max 28º

Trovoadas

Barras - PI

às 13:48
Geral

08/03/2018 ás 17h10 - atualizada em 10/03/2018 ás 11h21

Direto da Redação

Barras / PI

Dona Tereza: Exemplo de mulher guerreira
A mulher pequena e língua afiada sabia que sua imponência era instrumento poderoso.
Dona Tereza: Exemplo de mulher guerreira

Lutar pelo melhor do mundo é uma linda escolha de vida. Cada segundo dedicado, cada esforço feito, vale muito quando se olha para trás.


 

A nossa homenagem neste 08 de Março, Dia Internacional da Mulher, vai ser em nome de uma senhora que soube lutar, que buscou um sonho coletivo, que tinha um coração gigante, que apesar de todos os embaraços que lhe foram causados, ela venceu e viveu para contemplar o símbolo de sua luta: a terra. 


Estamos falando de Dona Teresa, uma trabalhadora rural que liderou o movimento pela desapropriação das terras do lugar Currais Novos no Município de Barras na década de 1980, foi duramente perseguida, sofreu ameaças, enfrentou prisões, tentativas de homicídio, mas soube suportar em nome de um sonho.


A mulher pequena e língua afiada sabia que sua imponência era instrumento poderoso. Falava o que tinha vontade. Apaixonada pela causa encontrou na sua determinação a sua bandeira de luta. Dona Teresa foi uma mulher que enfrentou a fúria do latifúndio na busca da libertação da terra e sempre esteve presente na luta junto à Comissão Pastoral da Terra -  CPT Piauí, atuou como conselheira da entidade por mais de uma vez. Também fez parte da equipe de CPT da Diocese de Campo Maior. Uma mulher muito conhecida pelo seu trabalho incansável quer seja nos Currais Novos, quer seja no movimento sindical ou no movimento de mulheres trabalhadoras rurais.


A sua luta durou mais de 10 anos, o resultado foi o PA Currais Novos,  implantado pelo Incra.  Virou símbolo do direito a um pedaço de chão para morar e produzir o próprio alimento, e com isso incentivou  outras comunidades a lutarem pela terra. 


O nome de Dona Tereza ganhou dimensões inimagináveis dentro e fora do Piauí. O seu carisma e as palavras que saiam de sua boca mexiam com o sentimento de justiça de um povo. A partir da maior Romaria da Terra já realizada pela Igreja Católica em Barras, o jogo começou a virar, surgiram vários assentamentos. Finalmente o sonho começava a ser realizado.


“Dona Tereza, mulher guerreira, mulher de fibra. Camponesa que enfrentou o latifúndio e a policia de fronte erguida. Ameaçada de morte, não fugiu da luta. Precisava semear regar a terra. Dona Tereza de luta venceu o latifúndio, a morte e a intolerância. Sua coragem e fé, conseguindo desapropriação, evitaram mais uma favela em Barras/PI. Venceu a injustiça. Nos braços de Maria Santíssima, D. Tereza, interceda por todos nos, piauienses, inspire a luta, inclusive dos que nem podem lutar, para que eles alcancem a dignidade e paz. Dona Tereza, mãe dos camponeses, obrigada por tua amizade, exemplo e carinho, olhe sempre todos que ficamos. Olhe por nossos rios, a terra, as crianças e jovens. Derrame por mim as lagrima que nem sei expressar neste momento. Sua benção, Mãe Tereza. De sua admiradora”- Leida Diniz (Portal Barras Virtual).

Dona Tereza morreu aos 73 anos de idade no dia 31/01/2013 e foi sepultada no cemitério do próprio assentamento, sob aplausos, lágrimas e uma mar de sentimentos, um deles foi o do dever cumprido. 

FONTE: Direto da Redação

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium